AÇÃO E REAÇÃO OU CAUSA E EFEITO?

AÇÃO E REAÇÃO OU CAUSA E EFEITO?

A Lei de Causa e Efeito é uma das Leis de Deus que mais demonstram Sua sabedoria, Sua justiça e Seu amor pela humanidade. Infelizmente nós a interpretamos, muitas vezes, de forma errada, confundindo-a com a Lei de Ação e Reação, que é uma lei física, aplicada à matéria, ou seja, a situações em que não entram o livre-arbítrio, o pensamento e a vontade. 

A lei de “Ação e Reação” diz que “a toda ação corresponde uma reação de igual intensidade e sentido oposto.” Assim, se eu jogo (ação) uma bola numa parede aplicando uma força “x”, a bola receberá da parede a mesma força “x” (reação), sendo impulsionada em sentido contrário. Portanto, a bola retorna a mim com a mesma intensidade com que foi arremessada. E sempre que eu a arremessar, a reação será a mesma.

A Lei de Causa e Efeito é uma lei aplicável aos Espíritos e leva em conta o seu nível evolutivo, o quanto ele aprendeu com o seu ato, os valores que introjetou em seu processo etc. Contudo, como Deus jamais ignora o nosso livre-arbítrio, a Lei de Causa e Efeito tem duas variáveis importantes: o teor dos nossos pensamentos e a sintonia que com eles estabelecemos.

Tratando do Espírito, Kardec jamais falou em Lei de Ação e Reação.  “Não há efeito sem causa”, disse ele. Portanto, sabemos que alguma consequência advirá dos atos humanos, mas são quase infinitas as possibilidades desse efeito, espiritualmente falando.

Suponhamos que um indivíduo haja praticado um homicídio. Pela Lei de Ação e Reação esse indivíduo, nesta ou em outra encarnação, será assassinado da mesma forma como o fez. Há aí um determinismo, um fatalismo do qual o indivíduo não poderá escapar. De certa forma é como se a divindade aplicasse a Lei de Talião (“olho por olho, dente por dente”).

Não é o que ocorre na prática nem no mundo físico, nem no espiritual. O homicida poderá, por exemplo, ser tomado de culpa e remorso, se fixando numa monoideia que poderá afetar a sua mente, levando-o a reencarnar com alguma perturbação mental. Ou, essa mesma monoideia poderá atrair para si ato semelhante ao que praticou. Poderá, ainda, plasmar no seu corpo espiritual uma marca do seu ato que o acompanhará em nova encarnação. Observemos que aqui se trata de escolhas determinadas pelo nível evolutivo do Espírito e não de uma fatalidade. 

Esse mesmo indivíduo, no entanto, poderá ser tomado de arrependimento,  fortalecendo em si a valorização da vida e, a partir daí, reformular toda a sua vida num sentido positivo. Aprendeu com o seu erro, não precisando passar pelo mesmo ato que praticou. Seus desejos e pensamentos elevados levam-no cada vez mais para perto de Deus e ele estabelecerá sintonias de alto padrão vibratório, atraindo paz e harmonia ao invés de violência ou negatividade. Assim é a Lei de Causa e Efeito porque o que Deus quer é que aprendamos e não que soframos.

A diferença entre a Lei de Ação e Reação e a Lei de Causa Efeito é que a primeira, funciona da mesma forma para qualquer corpo material, enquanto a segunda, aplicando-se aos espíritos, se estrutura em função do pensamento, do livre-arbítrio e da vontade destes, jamais agindo deterministicamente sobre suas vidas.

Sofrer ou não sofrer, ser feliz ou infeliz, não são fatalidades da vida, são sempre escolhas.

Janete Reis – Baseado em texto do Programa Renascer

Deixe uma resposta

Fechar Menu